Manter o blog não é uma tarefa fácil e exige bastante de nós. Estão a imaginar como serão 12 anos de blog? Eu nunca imaginei chegar a tantos anos, mas ao fazer uma retrospecção do que me fez manter o blog, quero acreditar que o motivo não fica só por ser uma pessoa persistente. O blog acaba por ser a imagem de nós próprios que dificilmente nos deixa com vontade de fazer um simples “delete”.
A quantidade de blogs tem estado a aumentar, mas também as desistências não passam por despercebido nos últimos anos. Tenho visto imensas bloggers que deixam o blog ao “abandono”, desistem de continuar com o blog, por mais anos que tenha de existência e independentemente de ser um blog de sucesso ou não.

“Estive ausente e agora?”

nature-fashion-person-woman-large

Aquele entusiasmo quando iniciamos o blog e uma mão cheia de ideias para encher o nosso espaço com posts todos os dias é realmente verídico. Mas o que não faz parte da realidade é que consigamos passar anos e anos a fazê-lo com o mesmo entusiasmo e com a mesma frequência (mesmo com mais duas pessoas a ajudar-vos a escrever no blog).
É perfeitamente natural isso acontecer enquanto bloggers. Nós não somos robôs e passamos por fases que nos exige estar um tempo afastadas do blog para reflectir, para viajar, para dar mais atenção a nossa vida profissional, académica ou pessoal. Precisamos de sair um pouco das redes sociais e viver o dia-a-dia com mais intensidade… caso contrário, de onde acham que recebem inspiração para os vossos posts?

Como recuperar dessa ausência

1. Após um certo período de ausência eu gosto de começar por fazer algumas alterações na imagem do blog, as mudanças dão-me ânimo. Se a imagem do vosso blog vos parece enfadonho e desactualizado, arrisquem a fazer alterações no design. As mudanças são sempre positivas e certamente vos fará sentir mais motivadas para manter o blog.

2. Durante a ausência é inevitável que o número de visitas comece a descer, mas numa ausência de meses conseguimos rapidamente aumentar o número de visitas através de posts sobre assuntos mais actuais e apelativos. E quando voltares a escrever posts não faças referência da tua ausência – as pessoas não têm de saber que és uma blogger “ausente”.

3. Numa ausência com mais de um ano, é natural deixarmos de nos identificar com o tipo de conteúdo que anteriormente nos interessava. Há medida que vamos sendo mais exigentes e a nos interessarmos por um outro tipo de abordagem ou tema, o blog também vai moldar/crescer connosco. O que antes era um blog de humor pode muito bem passar a ser um blog sobre lifestyle ou de moda. O que importa é que nos identifiquemos com o blog.

4. Vamos encontrar formas para não cometermos os mesmos erros mas até nos apercebermos deles pode demorar mais de cinco anos (!!!), estamos em constante aprendizagem. O importante é sermos humildes e ter paciência.

“Não tenho ideia do que escrever”

Quantas de nós chegamos a um ponto em que não sabemos o que escrever, como se as ideias estivessem esgotadas? A verdade é que este sentimento não nos deixa manter a motivação.
Quando isso acontece por vezes faço uma pequena pesquisa nos meus posts anteriores e começo a criar um “repost” com uma versão mais actualizada. Fazer uma lista de ideias para posts também ajudou-me imenso a pensar sobre o meu próprio conteúdo.

“Com que frequência devo escrever posts no blog?”

person-woman-apple-hotel-large

Cada caso é um caso, assim como cada blog é único. O que é ideal para uns pode não ser o ideal para outros. Cheguei a conclusão que mais vale criar posts, de forma regular, que sejam de qualidade e/ou minimamente interessantes do que fazer posts que só servem para “encher chouriços”.

Escrever 3 posts por semana é bastante satisfatório. Se não conseguires manter essa regularidade, podes sempre dedicares um dia por semana a escrever 3/4 posts e agendá-los para durante a semana. Mas calma, nada de grave! Não temos que sentir a “pressão” de criar um post para manter o blog o mais actualizado possível, isso só vai fazer com que a tua motivação vá por “água abaixo” e percas o interesse. É perfeitamente natural não nos apetecer (e não conseguirmos) fazer posts todas as semanas.

Author: Margarida Lozano

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *