Com a (relativamente) recente novidade do Instagram de podermos gerir vários perfis através de uma única conta, muita gente criou um perfil profissional ou pessoal, conforme aquilo que ainda não tinha. O problema é que, com o tempo, torna-se difícil gerir ambas as contas e criar conteúdo diferente, exclusivo e diário (ou quase!) para alimentar duas contas fica quase impossível. Começamos a entrar em stress, a fotografar só porque sim e, quando damos por isso, ambas as contas estão despersonalizadas.

Se esse não é o vosso caso, podem parar de ler este post por aqui. Se é, a nossa sugestão é que mantenham apenas uma conta, e partilhamos convosco as nossas dicas para conciliar uma conta que se quer profissional, mas com laivos da vida pessoal, sem cair no cliché e no oversharing.

Partilhem tudo com conta peso e medida

Se a vossa conta de Instagram tem uma vertente pessoal e outra profissional, e vocês querem que uma delas seja predominante, então porque não partilharem – e assumindo que publicam apenas uma vez por dia – durante uma semana 4-5x fotografias relacionadas com a vertente que querem que se destaque, e 2-3x fotografias relacionadas com a outra? Arranjem um balanço que funcione para vocês mas, principalmente, para os vossos seguidores.  

Tornem as vossas fotografias profissionais um pouco mais pessoais

Esta frase parece um pouco contraditória, mas acreditem que não é. Aquilo que queremos dizer é que se vocês são fotógrafos, designers, escultores, pintores, etc., porque não incorporarem uma vertente mais pessoal nas fotografias em que partilham o vosso trabalho? Basta as vossas mãos aparecerem a mexer no barro, ou a pintar aquela vossa última obra de arte, ou mostrar a vossa área de trabalho e a forma como se organizam ou vocês próprios em acção num trabalho fotográfico , para as pessoas sentirem uma conexão maior convosco sem porem em causa o vosso profissionalismo.

No seu livro “Show Your Work“, o escritor Austin Kleon escreve precisamente sobre isto e salienta a importância de intercalar o nosso trabalho (o produto já terminado) com toda a preparação que o mesmo implica. Diz ele:

Think process; not product.

Audiences long to be creative and part of the creative process. Document what you do. Share your process. Turn the invisible into something other people can see. Start a work journal. Keep a scrapbook. Shoot video of you working. Take photographs of your work at different stages.

Processo

gif1

Gif retirado do blog da Marta (Tudo por e com amor) que a mostra em plena sessão fotográfica. Este pode bem ser um dos exemplos a que se referia Austin Kleon quando aconselhou a “Document what you do. Share your process“. 🙂

Produto acabado

foto: Marta Filipa (blog Tudo por e com amor)

Tenham em atenção o feedback que recebem (mas não vivam dependentes disso)

Todos nós sabemos que o mais importante nas nossas redes sociais são os nossos seguidores e que, ao tê-los satisfeitos com o trabalho que fazemos, vamos conseguir mantê-los e angariar cada vez mais. Por isso, quando resolverem juntar ambas as vossas contas, tenham em atenção aquilo que vos dizem nos comentários. Estão satisfeitos por estarem a publicar coisas mais pessoais? Ou por estarem a conhecer melhor o que está por detrás do vosso trabalho? Estão fartos de ver as fotografias do vosso cão ou gato? Não querem saber o que comem? Sigam estas dicas e vão ajustando o vosso perfil àquilo que acham que faz sentido. Mas não se sintam obrigados a fazer mudanças com as quais não concordam! Por exemplo, se adoram o vosso cão e querem muito que ele apareça no vosso Instagram, porque não fotografá-lo de forma a que ele esteja ao pé do produto que vendem? Ou o vosso cão a fazer pose para a fotografia? Ou ainda, numa situação cómica como, por exemplo, a carregar a vossa máquina fotográfica? Ajustem a forma como partilham as vossas fotos ao feedback que recebem, mas sempre de forma a exporem o vosso trabalho de uma forma mais apelativa.

 

Aqui ficam uns exemplos de contas de Instagram que achamos que balançam muito bem a parte pessoal e profissional:

ana-novais-petiscos-miminhos-instagram-bloggers-camp

@ananovaispetiscosemiminhos

we-are-caribou-instagram-bloggers-camp.png

@wearecaribou

 Conclusão

No fundo – e apesar de todas as dicas que partilhamos aqui convosco – o mais importante é que façam aquilo que sentem que é certo para vocês, aquilo que vos deixa mais à vontade. Se não se sentem bem ou confortáveis com partilhas de cariz mais pessoal, então não as façam. Nós aqui só o recomendamos porque, de facto, é o que a maioria dos seguidores gosta de ver. Nós, seres humanos, não nos relacionamos com máquinas, empresas ou com quaisquer outras coisas despersonalizadas. Pelo contrário; quanto mais humana parece ser uma conta, uma empresa ou um serviço, mais nos identificamos e relacionamos com ela. E é esse o nosso objectivo ao dar-vos estas dicas: ajudar-vos a que a vossa conta de Instagram seja um reflexo do que vocês são, do que fazem e da vossa vida, sem nunca partilhar demasiado, deixando sempre os seguidores com vontade de voltar e ver mais de vocês e do vosso trabalho. 🙂


Bloggers Camp

O Bloggers Camp é uma plataforma com dicas de e para bloggers criada por Ana Garcês (Infinito mais um), Catarina Costa (Daydreams) e Catarina Alves de Sousa (Joan of July).

2 comentários

Nuno Reis · 28/10/2016 às 21:27

Tive esse problema não no Instagram, mas no Twitter que acaba por ser parecido. Para cada blog tenho uma conta e não tenho nenhuma minha. Assim quando o uso o conteúdo é exclusivamente profissional. Isso impede-me de dizer disparates ou expressar opiniões, o que no meu caso é bom porque costumo falar mais depressa do que penso. Para opiniões pessoais é o FB.
No aspecto negativo, em vários sítios que pedem conta pessoal não a tenho e ao pôr uma profissional ela acaba por ter menções em coisas nada relacionadas.

Gisa · 07/02/2019 às 02:17

Estou em conflito. Pois criei uma conta pessoal e tornei profissionais..depois tornei pessoal… E agora público os dois. Estou confusa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *